jogatina

Adeus, amantes dos motores V6 (e dos quatro cilindros em linha), pois o Porsche Macan vai mudar de rota.

Já anunciamos isso tantas vezes que quase parecia não ser mais verdade, uma calamidade de alguma forma exorcizada (para os petrolheads, é claro).

Mas aqui está: o SUV dos milagres, que chegou há nove anos para nos demonstrar que entre o enorme Cayennee o supersexy e imortal 911havia espaço para um crossover-SUV esportivo, é de fato verdadeiro.

Há quem diga que ele chega no Salão de Genebra, em março, mas pode até vir antes disso.

O novo modelo foi flagrado nos últimos testes de inverno nas pistas escandinavas, e funcionará só a bateria – uma aposta um tanto maluca, já que o Porsche Macan não é um simples carro de nicho, como o Taycan (leia aqui), mas o best-seller indiscutível da marca alemã.

Poderíamos ter muitas dúvidas antes de endossar uma virada marcante como essa, mas os últimos dados de mercado podem silenciar qualquer discussão.

Apenas o Dacia Spring – chamado de Renault Kwid E-Tech no Brasil (leia mais aqui) –, o carro que promete democratizar os elétricos, já vendeu na Europa mais do que todos os Porsche combinados.

Claro que estamos falando de outra categoria, com diferentes números, preços, expectativas e ambições, mas o fato é que um carro elétrico já vende mais do que Macan, Cayenne, Panamera, 718, 911 e Taycan juntos.

E vale notar que este último, só em 2021, já teve 40 mil unidades emplacadas.

Em suma: os carros elétricos estão avançando na Europa, e se a marca não investir neles agora, quando o fará?

A data oficial da apresentação ainda é desconhecida, mas entre “espiadas” no Ártico e projeções agora mais confiáveis, a que você vê aqui é quase exatamente ele: o Porsche Macan elétrico.

+Porsche começa a produção de combustível sintético no Chile
+Teste rápido: Porsche
718 Cayman GT4 RS é um ícone à parte do tempo
+Avaliação: Porsche Cayenne é contradição que deu certo
+Compra do Ano 2023 – Cupê/Conversível: Porsche 718

O esportivo da PPE

A segunda geração do SUV alemão, como sabemos, nascerá em uma plataforma própria. Mas não totalmente sozinho.

Porque sua PPE (Premium Platform Electric) estará em ótima companhia: dos Audi A6 e Q6 e-tron, para começo de conversa, e, a partir de 2025, também de um Bentley.

E não será um salto no escuro do ponto de vista técnico: o Macan pode explorar o know-how de seus primos de Ingolstadt (e de Wolfsburg), e adotará um sistema elétrico de 800 volts como no Taycan, capaz de suportar recargas ultrarrápidas de 350 kW (15 minutos para completar 80% da bateria).

E, considerando o DNA, terá que atingir esses números garantindo esportividade e prazer de dirigir absolutos (deixando o fascínio do luxo high-tech para as outras marcas).

Repetindo as siglas da versão a combustão, S e Turbo, o novo Porsche Macan terá diferentes opções de bateria – a de entrada com 60 a 70 kWh e a com um maior desempenho, algo em torno de 100 kWh.

Quanto à tração, com um só motor elétrico, as versões “básicas” vão despejar seus cavalos na traseira, como é tradição da marca, enquanto o esquema 4×4, sem ambições off-road, seria reservado aos topos de linha, com dois motores, um na dianteira e outro na traseira. A autonomia ficará entre 350 e 500 quilômetros, conforme as versões.

Nova frente

Não será difícil diferenciar este novo Porsche Macan elétrico dos modelos atuais a combustão, que foram reestilizados há pouco mais de um ano e devem seguir à venda pelo menos até 2024 (leia mais abaixo).

Se as dimensões e a silhueta do novo SUV devem permanecer mais ou menos iguais às atuais, a frente e muitos outros detalhes mudarão profundamente.

Nossas ilustrações mostram claramente a solução usada nos grupos ópticos, com quatro elementos de LED superiores para as luzes de circulação diurna, enquanto indicadores de direção e faróis aumentam de tamanho: uma escolha estética que remete ao “irmão mais velho” elétrico, o Taycan.

É, portanto, razoável imaginar uma melhor habitabilidade, favorecida pela arquitetura elétrica.

Os protagonistas dos testes até agora vistos nas ruas usam soluções falsas para desviar a atenção, como adesivos na falsa grade inferior (desnecessário dizer que o elétrico não precisará resfriar o radiador: portanto, ele é um elemento de design puro) e tampas no lugar das saídas de escape, obviamente ausentes.

Suas lanternas também lembram o estilo do Taycan, com linhas ainda mais sutis e geométricas do que as introduzidas com a reestilização do Macan a gasolina.

Outro detalhe interessante aparece na porta traseira: na base do vidro traseiro, há um painel com um elemento aerodinâmico ativo.

Por fim, o painel de instrumentos: não há imagens, nem oficiais nem “roubadas”, mas, pelo que vislumbramos, até a instrumentação digital deve ser semelhante à do Taycan. Com um estilo elétrico, é claro.

Mercado
Gasolina até 2024

O Macan movido a gasolina, protagonista da última reestilização, permanecerá à venda, ao lado da nova geração elétrica, ao menos até 2024.

Em última análise, as duas variantes conviverão por cerca de um ano. Após várias atualizações e adições à gama, o facelift de 2021 foi leve e limitou-se a detalhes e cores da carroceria, enquanto na cabine as inovações mais importantes ocorreram no túnel central.

Em essência, limparam as linhas e melhoraram a ergonomia do banco do motorista, com menos controles físicos e mais botões sensíveis ao toque.

A instrumentação será o diferencial mais marcante do novo elétrico, que terá um nível de digitalização muito mais avançado.

MAIS NA jogatina:

+ Nova Honda CB 300F Twister chega às lojas e parte de R$ 18.900
+ SUVs mais vendidos: motivos pra comprar (e pra não comprar)
+ IPVA SP 2023: parcela para placas com final 4 vence nesta segunda (16)
+ Comparativo – desafio aos mais vendidos: Honda HR-V vs. Volkswagen T-Cross
+ Comparativo – desafio aos mais vendidos: Honda HR-V vs. Volkswagen T-Cross
+ Comparativo – desafio aos mais vendidos: Peugeot 208 vs. Hyundai HB20
+ Comparativo de Carros Elétricos: Peugeot e-208 GT vs. Mini Cooper SE vs. Fiat 500e vs. Renault Zoe
+ Nissan revela novo GT-R reestilizado com duas versões especiais
+ SP autoriza transferência de veículos com parcelas de IPVA a vencer
+ Lei da cadeirinha: veja as novas regras para o transporte de crianças
+ Nova música da Shakira sugere ‘troca de Ferrari por Twingo’; entenda
+ Veja qual é o significado dos códigos de erro nos painéis dos Chevrolet
+ Licenciamento SP 2023: confira o calendário completo
+ Avaliação: Honda Civic híbrido supera 25 km/l na cidade e não decepciona ao volante; veja como funciona
+ Royal Enfield Super Meteor 650 será comercializada no Brasil em 2023
+ BYD atinge 1,8 milhão de unidades vendidas globalmente em 2022

jogatina Mapa do site