sambafoot

APrefeitura de Curitiba começou a testar um radar capaz de flagrar o excesso de ruído gerado nas ruas, principalmente por sistemas de escapamento de carros e motocicletas fora do padrão ou customizados.

A gestão ressalta que a tecnologia já é utilizada em países como a França e é inédita no Brasil.

Radar em Curitiba – Foto: Divulgação/Renato Próspero/SMCS

+ Fiscalização com radar móvel nas rodovias cai pela metade
+ ‘Radar de ruído’ em Paris vai multar carros e motos barulhentos
+ Licenciamento em SP: pagamento para placas 7 e 8 vence em outubro
+ Faixa Azul para motos em SP: veja os resultados do projeto

Perfil do condutor

Instalado na Avenida Victor Ferreira do Amaral, perto do Jockey Plaza, no bairro Tarumã, o equipamento foi desenvolvido pela empresa Perkons, em parceria com a Superintendência de Trânsito (Setran).

Segundo a superintendente de Trânsito de Curitiba, Rosangela Battistella, a iniciativa atende a solicitações encaminhadas pela população que reclama do barulho provocado por carros e motos, além de demandas encaminhadas pela Câmara de Vereadores.

“Com base nas informações de perfil comportamental destes motoristas, vamos conseguir identificar o horário de maior incidência e o tipo de veículo para que possamos atuar com blitz educativas e também com a fiscalização”, explica Battistella, em comunicado à imprensa.

Radar em Curitiba – Foto: Divulgação/Renato Próspero/SMCS

Como funciona?

Em caráter experimental, o aparelho está junto a um equipamento de fiscalização eletrônica que já faz a medição de velocidade dos veículos.

O detector de ruídos capta imagens e áudios de veículos que estejam emitindo ruídos acima do permitido de forma automática, como explica o o diretor técnico da Perkons, Régis Nishimoto.

“Curitiba sempre foi berço das inovações no âmbito do trânsito. Há 30 anos a cidade recebeu a primeira lombada eletrônica do mundo. Agora, mais uma vez a parceria Perkons e Prefeitura de Curitiba está na vanguarda, desenvolvendo esta solução para tornar a cidade cada vez mais inteligente”, conta Nishimoto.

Radar em Curitiba – Foto: Divulgação/Renato Próspero/SMCS

Homologação

Vale destacar que, como é uma tecnologia nova no país, o equipamento não pode ser utilizado para autos de infrações, pois ainda necessita de homologação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) e da regulamentação de órgãos como o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama).

PreviousNext

MAIS NA sambafoot:

+ Carros da Jeep e Fiat têm ‘surpresas escondidas’; conheça os easter eggs da Stellantis
+ Carro Usado: Hyundai Tucson é um SUV espaçoso e de manutenção fácil
+ Licenciamento em SP: pagamento para placas 7 e 8 vence em outubro
+ Governo de SP vai devolver valor do IPVA para PCD a partir de terça (27)
+ Gasolina fica mais barata e preço médio chega a R$ 4,81, diz ANP
+ Preços dos carros usados devem cair; confira os mais valorizados
+ Veja qual é o significado dos códigos de erro nos painéis dos Chevrolet
+ Fiat segue na liderança em vendas no Brasil; Strada é destaque
+ Nissan expande rede de concessionárias que oferecem o elétrico Leaf
+ Avaliação: Toyota Corolla Cross híbrido põe o consumo acima de tudo; vale a pena?
+ Honda lança scooter Elite 125 2023 com nova cor; veja o preço
+ Comparativo de Carros Elétricos: Peugeot e-208 GT vs. Mini Cooper SE vs. Fiat 500e vs. Renault Zoe
+ Comparativo: Jeep Commander vs. Caoa Chery Tiggo 8
+ Salão do Scooter será realizado em São Paulo; veja as datas e preços
+ Avaliação: Chevrolet Equinox tem muito espaço e bom custo-benefício para desafiar Jeep Compass

sambafoot Mapa do site